Como Reconhecer Pessoas Arrogantes

Você sempre parece cruzar o caminho de gente egocêntrica, intolerante a pessoas diferentes delas, rude ou claramente arrogante? Estas pessoas podem ser uma fonte de grande irritação, e este artigo está aqui para ajudar você a diferenciar pessoas arrogantes das nem tão arrogantes.

1.Preste atenção às conversas dessas pessoas.

Não fique ouvindo escondido, mas, quando elas estiverem falando com você ou com alguém perto de você, escute-as. O assunto é sempre sobre elas mesmas? Elas ficam bravas ou irritadas se o centro das atenções virar outra pessoa? Estes são sinais claros de arrogância. Arrogância e soberba normalmente são o reflexo de uma experiência de vida limitada e da preocupação de que aqueles com maior experiência sejam “superiores a eles”. Em vez de procurar descobrir coisas novas perguntando e de aprender com isso (ações que elas acham que mostram vulnerabilidade), pessoas arrogantes tendem a fazer generalizações a partir de suas mínimas e limitadas experiências de vida e a impor sua visão de mundo pequena sobre os outros.

Ciúme das suas conquistas ou do seu estilo de vida aparente pode fazer com que outra pessoa se sinta convencida ou com que seja arrogante em relação a algo que ela faça melhor que você/que ela tenha e você não.

Pessoas arrogantes têm uma necessidade forte de ficar por cima. Quando você diz algo ruim sobre elas — mesmo que seja a mais “leve” das ofensas —, elas tendem a ficar muito bravas com você. Isso acontece se você questionar (ou parecer questionar) a aparência delas, sua inteligência, suas habilidades atléticas ou qualquer coisa relacionada à imagem que elas têm de si mesmas.

2. Desafie seus pontos de vista.

Não seja agressivo — apenas cético e curioso. Se a pessoa ficar aborrecida, meça sua raiva. Se não for muito grande, então, é possível que ela apenas esteja tendo um dia ruim. Mas, se ficar furiosa, ela pode estar achando que você está questionando seu “mundo perfeito”. E esta resposta costuma ser um indicativo de arrogância. Em algum momento, a maioria das pessoas percebe que o mundo não gira do seu redor. Pessoas arrogantes tentam mudar isso criando uma atmosfera que gira ao seu redor e ficam bravas se alguém lembrá-las do mundo real.

A ambiguidade assusta pessoas arrogantes porque sugere imperfeição, mudança e incerteza (realidades com que todos devemos lidar da melhor maneira). Assim, em vez de aceitar que o mundo se comporta de maneira aleatória e, às vezes, totalmente contrária às preferências de alguém, a pessoa arrogante procura controlar tudo e todos, o que, obviamente, é uma missão impossível.

A realidade dói quando aparece; assim, uma pessoa arrogante, ao contrário das outras, dificilmente faz reflexões sobre si mesma ou se analisa, portanto, não vendo as próprias imperfeições. Ela também pode se dar créditos indevidos por conquistas positivas em vez de reconhecer o mérito dos outros ou das circunstâncias.

3. Descubra a qualidade das amizades dessa pessoa.

Não seja intrometido ou fofoqueiro, mas, se ela estiver feliz com alguém num dia e brava no outro, é possível que ela tenha muitos amigos interesseiros. Isso é um sinal de arrogância, uma vez que é muito difícil ser amigo de verdade de alguém tão egocêntrico. Pessoas orgulhosas têm uma necessidade forte de ficar por cima, e ser autossuficiente é uma maneira efetiva de fazer isso. Como ser amigo de alguém muitas vezes significa ajudar essa pessoa, o arrogante, muitas vezes, não suporta sequer a ideia de uma amizade de verdade. Ironicamente, pessoas arrogantes, muitas vezes, não entendem por que não têm nenhum amigo com quem possam contar e que as apoie.

4. Como a pessoa trata aqueles diferentes dela?

Em outras palavras, como ela reage a crenças, culturas e maneiras de ver o mundo diferentes das dela? Se for de forma inerentemente negativa, então, ela ou é ignorante em relação a essas características da outra pessoa ou faz o possível para evitá-las para que elas não contradigam seu mundo de fantasia que só diz respeito a ela mesma. Determine isso com base na personalidade geral do arrogante e nas pessoas com quem ele interage. Muitas vezes pessoas orgulhosas têm um comportamento de “meu jeito é o jeito certo”. É um simples mecanismo de defesa para a imagem falsa que elas sustentam ou para o mundo de fantasia em que vivem.

5. Como é a personalidade dessa pessoa?

Anote como ela age, como fala e como usa seu status social. Ela costuma estabelecer regras sobre o que é legal e o que não é? É tagarela? Ela age como se fosse a rainha do lugar, ou como uma “predadora”? É muito orgulhosa da imagem que tem de si mesma? Muitos arrogantes têm um charme falso que ninguém consegue enxergar. Mas eles ficam mais do que felizes de mostrar seu lado cruel àqueles de quem não gostam.

Quando são cruéis, seus amigos normalmente ignoram ou não fazem nada para pará-los, porque eles têm medo de ser maltratados por seus “amigos”.

6. Mencione pessoas que você “sabe” que o arrogante não gosta.

A ideia não é criar um conflito, mas medir as rivalidades, as inimizades e o aborrecimento dele. Se o problema que ele tem com a pessoa for razoável, é provável que ele não seja arrogante. Caso contrário, ele é. Na maior parte do tempo, pessoas arrogantes veem aqueles de quem não gostam como ameaças para o seu mundo perfeito. Quanto mais eles odeiam alguém, mais perigosa esta pessoa é para sua terra de fantasia. E, por conseguinte, quanto maior a ameaça, pior seu criticismo.

7. Procure saber o que a pessoa anda dizendo de você.

Se forem coisas ruins, ela talvez simplesmente não goste de você. Se ela for legal na sua frente, mas viver falando mal de você nas suas costas, então, provavelmente ela tem um problema com orgulho. Pessoas arrogantes, muitas vezes, sabem inconscientemente que não têm bons amigos. Elas compensam isso criando a impressão de que têm muitos — uma ideia de “quantidade, não qualidade”. Então, elas simplesmente insultam os amigos que gostam de exibir para os outros quando eles não estão olhando.

8. Seja compassivo.

Não julgue demais pessoas arrogantes ou você corre o risco de parecer tão ruim quanto elas. Esse tipo de gente muitas vezes tenta esconder certas vulnerabilidades e medos. Na maior parte das vezes, a necessidade de ter uma autoimagem forte e inquestionável vem de uma dor profunda. Obviamente, você não precisa também aceitar a ideia dessas pessoas de que elas são superiores a você. Mantenha-se imparcial e atenha-se aos seus princípios. Mas você pode conviver com elas e descobrir o que há de bom nessas pessoas, elogiar seus talentos reais em vez dos forçados. Às vezes, ter alguém que ultrapasse a grosseria pode libertar o arrogante de modo que ele seja mais verdadeiro consigo mesmo e pare de se proteger tão ferozmente. Uma ampla gama de vulnerabilidades tende a estar escondida sob a arrogância. Isso leva à compensação, para que essa vulnerabilidade fique bastante suprimida. Por exemplo, se a pessoa arrogante cresceu na pobreza, mas, depois, ficou rica, ele ou ela pode se tornar esnobe em relação a tudo que pode comprar agora, para cobrir o passado pobre.

Fonte: http://pt.wikihow.com

MAIS POSTS


Decifrando a parada gay sem hipocrisia

Quando o jornalista, escritor, radialista e apresentador de televisão Leão Nicola Lobo mais conhecido Leão Lobo e mais 30 ou 40 pessoas saíam em plena Avenida Paulista com placas na mão, apanhando da polícia e exigindo direitos e respeito pelo homossexual, a Parada Gay em sua versão embrionária, mostrava-se mais genuína do que hoje.

Não desdenhando da festa que é, mas reparem me refiro a tal evento como FESTA. Mesmo porque quando questionada há alguns meses sobre qual seria sua opinião de um dia do Orgulho Hétero, a própria senadora Marta Teresa Smith de Vasconcellos (que ainda usa o sobrenome Suplicy) afirmou ao seu entrevistador Danilo Gentili que seria apenas mais um dia de festa como a Parada Gay o é.

Fernando Haddad, Jean Wyllys e Marta Vasconcellos

Através de uma música do Tiririca, isso mesmo uma música do Tiririca, pois nesse post não há a existência de nenhum PRÉ-CONCEITO para nenhum assunto ok? Quero ressaltar e trazer a tona a essência de toda a ideia que pretendo transmitir:

“Amizade é a melhor coisa do mundo / Num amigo de verdade não se vê defeito / Como disse o poeta: / O amigo é pra se guardar no lado esquerdo do peito… / Ele é corno, mas é meu amigo / Ele é viado, mas é meu amigo / Ele é baitola, mas é meu amigo / Ele pode ter defeitos, mas é meu amigo”

Substituam a palavra amigo por ser humano e suas derivações de termo como tal: amizade como humanidade. Pronto acabou. Somos seres humanos antes de tudo e devemo-nos respeito, independente de raça, orientação sexual, nacionalidade, etc. Respeito esse, que tenho certeza que os LGBT não tem devido a pararem uma avenida e fazerem festa com som alto, etc… mas INFELIZMENTE devido a outros fatores como vocês podem ver na imagem abaixo.

Um último questionamento que creio será de grande importância para que você leitor veja como o buraco é muito mais em baixo. Em vinte anos o Brasil será de maioria evangélica. Evangélicos e LGBT’s são grupos declaradamente rivais. Qual indivíduo será mais respeitado econômica e politicamente? (uma vez em que a essência do ser humano de nada importa nessa sociedade) O que faz parte do que está em maior ou em menor número?

VIVEMOS NUMA DEMOCRACIA CAPITALISTA. REFLITAM.

Adendo: esses dias vendo uma matéria do Murilo Couto no programa Agora é Tarde onde o mesmo estava no Gay Day do Hopi Hari entrevistando alguns rapazes e um deles teve a infelicidade de dizer ao Murilo: ‘você vai me dar um selinho ou vai querer ser acusado de ser homofóbico?’. Sem comentários.

SEN-SA-CIO-NAL *dica do leitor @fred_rios


Homofobia, homopaupertia, omo progress, etc. etc.

“Esses dias passei por uma situação constrangedora. Hoje tudo é homofobia, não se pode fazer nenhuma piada, nada, que é tudo homofobia. Daí numa balada um cara começou a me encarar, queria ficar comigo e pensei como recusar esse cara sem ser acusado de homofóbico. Pensei, pensei, pensei, não arranjei o que falar… ah, acabei ficando com o cara né.”

Baseado nessa piada do Filipinho Neves, um dos finalistas do 3° Campeonato Brasileiro de Stand Up Comedy (Risadaria 2013), adicionado as minha impressões sobre a entrevista no Agora é Tarde (21/05/2013), com a diretora de uma escola pública que tornou-se notícia  por ser uma ‘transmulher’ e por fim tomando um quadro do Furo MTV onde ‘Jesus’ respondia questões sobre homofobia, que vou levantar algumas discussões e questionamentos sobre esse assunto.

Vamos agora a uma rodada de perguntas e respostas!

Então quer dizer que agora pra não ser homofóbico eu sou obrigado a gostar de gays?

Não. Assim como você não é obrigado a gostar de negros, brancos, cadeirantes, evangélicos, espíritas, homens, mulheres e até gostar de você mesmo. Você não gostar de alguém por uma característica ou comportamento que ela tenha e seu direito garantido, assim como qualquer pessoa também não é obrigado a gostar de você. Geralmente quando não gostamos de alguém nos afastamos de tal pessoa. Por exemplo, eu não gosto de pessoas que zoam todo mundo e quando são zoadas se tornam ignorantes. Qual minha atitude? Se afastar simplesmente pelo fato dessa pessoa não agregar nada em minha vida.

Agora você querer intervir, descriminar, agredir, prejudicar, enfim tomar atitudes que tolherão o outro, devido a suas escolhas de qualquer natureza e mesmo por sua essência, nesse momento você estará numa zona de confronto, inclusive intervindo de forma abusiva na liberdade e direitos do outro.

Aí, que que é homopauper pauper não sei o que aí que tem no título?

Como não havia um termo que denominasse ou significasse o ‘coitadismo’ que algumas pessoas praticam em função de alguma condição ou escolha que fizeram, fui buscar no latim algo que trouxesse essa ideia de se fazer de ‘pobrezinho’  uma vez que o termo coitado não satisfaria minha demanda de dar significado a ideia. Basicamente homopaupertismo ou homopaupertia é o ato de se fazer de um pobre coitado em relação a sua orientação sexual e relacionar todo e qualquer evento ou atitude a isso. Exemplificando: José entrou em luta corporal após bater no carro de João. O motivo da briga é a colisão entre os carros. Porém José é homossexual. Caso José tome essa agressão sofrida por conta de sua orientação sexual, isso é homopaupertia.

Um caso que alguns de vocês devem já ter ciência é a relação assassinatos ocorridos em um dia na cidade de São Paulo. Houve uma ‘piada’ ou comentário do @DaniloGentili que dizia mais ou menos que, de X assassinatos em um dia, 10% desse X eram homossexuais, porém a estatística na qual ele se baseou não dizia se os homossexuais foram mortos por serem homossexuais. E, devido as estatísticas ele brincou: ‘alguém poderia comer meu cu só pra garantir’. Os pseudointelectuais como o ex-BBB @jeanwyllys_real que não teve capacidade de alcançar o raciocínio executado sobre estatística, onde justamente estava o embasamento para o punch da piada, já se ofendeu e atacou Danilo. Nesse exemplo observamos o homopaupertismo explícito que é forçar uma situação para alegar que tudo que acontece contra um homossexual é homofobia.

Ah, mas então não existe homofobia?

Lógico que existe!

Por exemplo eu não contratar uma pessoa por ela ser homossexual. O que no passado acometia os negros, mulheres, deficientes, etc. O que é um absurdo, pois se contrata uma pessoa pela sua capacidade em executar as funções que lhe forem atribuídas e para isso existem os currículos, as referências. A atitude da Gretchen em levar a filha Thammy para ser exorcizada por ser homossexual é homofobia. Desqualificar alguém pela orientação sexual dela é homofobia, entre outros exemplos como agressões físicas e verbais etc.

Voltemos agora a entrevista do Agora é Tarde. O que me chamou atenção é que o Danilo Gentili conduziu a entrevista ‘cheio de dedos’ com muito cuidado para não cometer nenhuma gafe uma vez que a comunidade LGBT se mostra hoje muito radical em algumas atitudes, mas não toda ela, como sabemos toda generalização é burra.

Talvez uma solução para toda essa falta de humanidade que estraçalha as relações interpessoais, seja a própria busca por mais humanidade. Antes de ser gay, hétero, branco, índio, deficiente… antes de qualquer predicado que nos é colocado, antes de qualquer coisa somos seres humanos e cidadãos e isso sim que deve servir como premissa para a busca da verdadeira essência do outro a presença ou falta de humanidade. O resto, bom o resto deveria servir somente como adorno e floreio.

E o omo progress, está fazendo o que no título? Bom, basicamente é mais uma vez um ‘toque’ que eu dou a você leitor. Reflita um pouco só, quem tem respeito em um mundo capitalista? O que sai as ruas gritando e esperneando que quer respeito, ou aquele que adquire poder de compra?

E apenas dando um ‘escapadela’ para uma visão política. Porque os partidos ditos representantes do proletariado, quando sobem ao poder se tornam totalmente patronalistas?

Independentemente de credo, raça, orientação sexual, gosto musical, nível de escolaridade, opção por esportes, ser usuário ou não de drogas, ter uma conduta correta em relação ao próximo, entre outras várias coisas, independentemente de tudo isso, no capitalismo você é qualificado por poder comprar o OMO PROGRESS ou a marca genérica do supermercado.

Se quiser, deixe um comentário para enriquecer essa discussão, valeu!

EXTRA: MAIS SENSO DE HUMANIDADE AOS SERES HUMANOS


Compartilhamento e o oportunismo barato

REVOLTA! REVOLTA! REVOLTA! REVOLTA! Põe na tela ! Eu quero ‘IBAGENS’ !!! Olha essa ‘ibagem’…

Ok, falemos sério agora. Recebi essa imagem via Facebook de uma fanpage, a qual não citarei o nome, a fim de não dar mais cartaz a mesma. Esses dias fui questionado da seguinte forma: “Brício, é verdade que compartilhar essas fotos de pessoas morrendo, doentes ou com um, outro problema qualquer eles recebem algum dindin?”

Através dessa pergunta leitores, me acompanhem na seguinte analise, mesmo que superficial a fim de tornar o texto mais objetivo. Como produzimos ganhos financeiros? Através da venda de produtos ou serviços certo? Olhem bem para a imagem acima. Você vê algum anúncio? Você vê a possibilidade de interagir com essa imagem através de algum meio físico de doação a essas mãos estendidas ? Eu não vejo.

O que eu vejo são três oportunidades de auto promoção barata, mascaradas como ‘opções’. Quando você abre a imagem no Facebook, o nome na página vem logo acima e a direita da mesma com os seguintes dados: 140 pessoas curtiram isso, 1.652 compartilhamentos e 84 comentários; então é chegada a hora de agir. “Sim, vou ajudar compartilhando a foto.” (consequentemente o nome da página) “Não, só vou olhar.” (não acontece nada) “Talvez vai, então vou dar um curtir só″ (você está curtindo uma foto dessas?)

Agora leitor, me corrija se eu for muito burro, por favor. Qual é a mágica que saciará a fome dessas crianças com um simples curtir, compartilhar e etc. ?!?

O cerne da discussão aqui é o seguinte, oportunismo covarde. Mesmo porque a página em questão é uma página de humor! Com mais de quatrocentos mil likes e onde, onDE, ON-DE há humor nessa foto ??!!??

Enfim, eu gostaria de convidar vocês a tomarem algumas atitudes simples, como pensar, refletir e tentar aflorar um senso crítico sobre o que compartilhar na web como um todo. Caso contrário seremos sempre inundados com informações inúteis, imagens apelativas, entre outros absurdos produzidos por pessoas descriteriosas e sem preparo, assim nos tomando um tempo que poderíamos dedicar nos preenchendo com um conteúdo melhor.


Silas Malafaia, um homem de Deus. Tenham fé.

Leia até o fim: eu te desafio!


Vejo agora que após sua polêmica entrevista concedida a jornalista Marília Gabriela, o pastor tornou-se o alvo das maiores críticas por parte de inúmeras pessoas on e offline. Mas porque tudo isso? Silas Malafaia é um homem de Deus, assim como eu sou um homem de Deus, assim como o ex-Deputado (ainda que essa, tornou-se, uma atividade ilícita no país) João, aquele que ganhou 200 vezes na loteria, era de Deus também.

Raciocinemos. Deus é uma entidade poderosa, benevolente, que cuida de seus fiéis, mesmo aqueles que se encontram sem saúde, educação, moradia, etc. Deus ama a todos gente! E o que ele pede em troca? APENAS o seu dinheiro através do dízimo.

Como afirma o pastor que, certamente tem ligação direta com o ‘cara lá de cima’ (Meneghel, Xuxa) tudo que você der a Deus ou a igreja será devolvido em dobro a você. Mas veja bem, não adianta ser ao próximo! Deixe que esses tramites, os pastores da igreja cuidam ou seja, nem com isso você há de se preocupar. Gente, agora depende de vocês, TEM QUE TER FÉ! E se pararmos pra pensar é somente 10% de tudo que você ganha. Um preço justo, visto todos os benefícios envolvidos. No lugar do pastor Malafaia, eu alegaria perseguição religiosa e proporia o desenvolvimento do ‘KIT ANTI-TEOFOBIA’.

Todos o acusam de enganar as pessoas através da fé. Eu acho isso muito injusto sabe. Pois temos que ter fé mesmo, assim como temos fé em nosso governo vigente. Ou por acaso além de denegrir a imagem do pastor vocês também vão falar mal do governo? GENTE, REPITO BASTA TER FÉ!

Eu deposito minha fé nos governantes através do meu voto, diga-se de passagem OBRIGATÓRIO numa dita democracia plena. O que o governo me pede em troca? Um ‘dízimo’ de 27% de tudo que eu ganho, entre outros ‘diziminhos’ por aí e o que o que eu tenho gratuitamente: saúde de qualidade, educação de primeiro mundo para meus filhos, saneamento estruturado em todos os lugares a que vou, segurança e policiamento dignos e o principal, EU NÃO CONSIGO VER DESIGUALDADE SOCIAL NESSE PAÍS! E sabe porque? PORQUE EU TENHO FÉ!

Todos acham que o pastor Silas Malafaia engana seus fiéis assim como acham que existem desvios de verba pública e corrupção nesse país. São pessoas sem fé.

VELHO, HORA DE RESUMIR E FALAR SÉRIO CAMPEÃO!

Agora a grande diferença disso tudo. O MEU LIVRE ARBÍTRIO!

Por lei, eu não sou obrigado a adentrar a nenhuma igreja e pagar o dízimo para ter prosperidade via Deus, correto?

Por lei, eu sou obrigado a dar 4 meses do meu trabalho para o governo e não ter nada em troca, NADA! Ou serei um sonegador e arcarei com as consequências legais de tal ato.

SILAS MALAFAIA É APENAS UM APROVEITADOR DA FALTA DE ESTRUTURA E ALIENAÇÃO, RESULTADA DO SUCATEAMENTO DA NOSSA EDUCAÇÃO. EU SOU UMA MINORIA QUE TEM UMA BOA ESCOLARIDADE QUE ME DESENVOLVEU UM SENSO CRÍTICO.

Repito meus caros, eu não tenho obrigações com nenhuma igreja, apenas com um governo corrupto que me explora e abandona seu povo, deixando-o sob influência de tantos e tantos aproveitadores de plantão.

QUANDO O BRASILEIRO SOUBER QUE FUTEBOL É LAZER, POLÍTICA É CIDADANIA E RELIGIÃO É UMA OPÇÃO INDIVIDUAL A SER RESPEITADA, 71,71% DOS NOSSO PROBLEMAS VÃO RUMAR A UMA SOLUÇÃO.


12

Topo