REVOLTA! REVOLTA! REVOLTA! REVOLTA! Põe na tela ! Eu quero ‘IBAGENS’ !!! Olha essa ‘ibagem’…

Ok, falemos sério agora. Recebi essa imagem via Facebook de uma fanpage, a qual não citarei o nome, a fim de não dar mais cartaz a mesma. Esses dias fui questionado da seguinte forma: “Brício, é verdade que compartilhar essas fotos de pessoas morrendo, doentes ou com um, outro problema qualquer eles recebem algum dindin?”

Através dessa pergunta leitores, me acompanhem na seguinte analise, mesmo que superficial a fim de tornar o texto mais objetivo. Como produzimos ganhos financeiros? Através da venda de produtos ou serviços certo? Olhem bem para a imagem acima. Você vê algum anúncio? Você vê a possibilidade de interagir com essa imagem através de algum meio físico de doação a essas mãos estendidas ? Eu não vejo.

O que eu vejo são três oportunidades de auto promoção barata, mascaradas como ‘opções’. Quando você abre a imagem no Facebook, o nome na página vem logo acima e a direita da mesma com os seguintes dados: 140 pessoas curtiram isso, 1.652 compartilhamentos e 84 comentários; então é chegada a hora de agir. “Sim, vou ajudar compartilhando a foto.” (consequentemente o nome da página) “Não, só vou olhar.” (não acontece nada) “Talvez vai, então vou dar um curtir só″ (você está curtindo uma foto dessas?)

Agora leitor, me corrija se eu for muito burro, por favor. Qual é a mágica que saciará a fome dessas crianças com um simples curtir, compartilhar e etc. ?!?

O cerne da discussão aqui é o seguinte, oportunismo covarde. Mesmo porque a página em questão é uma página de humor! Com mais de quatrocentos mil likes e onde, onDE, ON-DE há humor nessa foto ??!!??

Enfim, eu gostaria de convidar vocês a tomarem algumas atitudes simples, como pensar, refletir e tentar aflorar um senso crítico sobre o que compartilhar na web como um todo. Caso contrário seremos sempre inundados com informações inúteis, imagens apelativas, entre outros absurdos produzidos por pessoas descriteriosas e sem preparo, assim nos tomando um tempo que poderíamos dedicar nos preenchendo com um conteúdo melhor.